Sobre Dor e Sofrimento

Olá companheiro de jornada! Como anda sua viagem nesse Oceano da Vida? Saiba que há momentos em que a dor é necessária… Se você está passando por algum tipo de dor e/ou sofrimento, por favor, relaxe, leia-me e reflita.

sofrimentos-inevitaveis

Desde nossos primeiros anos de vida, somos formados para evitar, abrandar ou escapar do sofrimento. Quer o sofrimento esteja relacionado à dor física, a uma doença assustadora, à humilhação, à perda de um ente querido, ao medo do fracasso ou à falta de realização na vida, o sofrimento está entre as experiências menos desejadas e mais desagradáveis que passamos.

Normalmente o sofrimento se liga à dor, mas dor e sofrimento não são a mesma coisa.

Dor é uma percepção de desconforto ao nível físico, mental, emocional e espiritual.

Sofrimento envolve a experiência da humilhação, negação ou alienação do nosso “verdadeiro eu”, o centro do nosso ser, a fonte da nossa consciência e da expressão de nós mesmos e, envolve um processo gradual de entorpecimento, de defesa e de fuga.

Com o tempo vamos tendo uma visão deturpada de nós mesmos e do mundo, e assim mais sofrimento.

O Zohar nos ensina que é através da dor que aprendemos, pois é a dor que purifica e remove as cascas de negatividade que envolvem nossa Luz Interior. Essas cascas são verdadeiras barreiras entre nós e a Luz Superior. É importante compreender que o sofrimento é uma resistência à dor. Normalmente, em nossa vida diária, tentamos ‘evitar a dor a qualquer preço’, e quando a experimentamos, imediatamente olhamos para outro lado para nos anestesiar. A resistência à dor cria mais e mais problemas para nós no futuro.

A dor é transitória, mas o sofrimento gruda em nós e nos mantém empacados, impedindo nossa evolução. Às vezes o processo de cura de uma doença é doloroso, mas necessário, não é mesmo? Já passamos por isso, todos nós, várias vezes, e não é preciso descrevê-lo aqui. E quando a cura chega, finalmente, o alívio nos fará rapidamente esquecer o sofrimento. As mães que me lêem sabem do que falo. O parto, por mais doloroso que seja, nos oferece o presente da vida, e no final, quando a dor passa, a alegria do nascimento do novo bebê, nos faz esquecer a dor. Assim deveria ser todo processo de dor. Mas nem sempre o que nos é oferecido é tão visível, tão palpável, não é? Então, continuamos a nos agarrar à dor, causando mais e mais sofrimento. É importante então que não sejamos prisioneiros de nosso passado, não remoamos remorsos, saudades, traumas anteriores, pois eles só acrescentariam sofrimento à nossa vida, colocando cascas grossas entre nossa Luz Interior e a Luz Superior e impedindo a conectividade.

Quando aceitarmos a dor, estaremos iniciando nossa cura. A Luz irá fluir e com ela uma nova energia renovadora virá se instalar. É como quando temos uma conta a pagar e, ao invés de procurar o dinheiro necessário para saldar a dívida, continuamos a empurrar o problema com a barriga, nos queixando que não temos dinheiro. E assim, acumularemos mais e mais dívidas. Melhor seria se procurássemos ganhar dinheiro, mesmo que pouco, mesmo que num trabalho temporário. Aos poucos, tudo voltará a fluir e conseguiremos nos equilibrar novamente. É assim com a dor. O sofrimento é um eterno ‘empurrar com a barriga’ permitindo que nossa dor se torne cada vez maior, cada vez pior. Ela acabará nos encurralando num escudo de negatividade de onde não conseguiremos mais sair.

god is working

[No meio das tempestades e sofrimento.. Deus está trabalhando.]

Aprenda, então, a não falar excessivamente de si mesmo, nem comente a própria dor. Lamentação denota enfermidade mental e enfermidade de curso laborioso e tratamento difícil. É indispensável criar pensamentos novos e disciplinar os lábios. Somente conseguiremos equilíbrio, abrindo o coração ao Sol da Divindade. Classificar o esforço necessário de imposição esmagadora, enxergar padecimentos onde há luta edificante, dói identificar indesejável cegueira d’alma. Quanto mais utilize o verbo por dilatar considerações dolorosas, no círculo da personalidade, mais duros se tornarão os laços que o prendem a lembranças mesquinhas.

Preparai-vos para a dor, que virá certamente; as aflições são indispensáveis. Jesus o sabia e o ensinava, como necessária à educação da alma, do mesmo modo que a disciplina fisiológica o é à conservação da robustez corpórea. Sem a prova, não haverá profundo conhecimento algum, sem ela ninguém poderá escalar os gloriosos cumes. A chave da ciência pertence ao espírito e ninguém pode arrancá-la se a alma não se tornar ardente, disciplinada pela dor. Não o esqueçais.

Você ao invés de reclamar/reivindicar o fim de sua dor (analgesia) ou sofrimento, deveria orar assim: “Não permitas, Anjo Divino, que venhamos a sonhar com o Céu, antes de resgatar nossas contas na Terra, e ajuda-nos a aceitar, dignamente, a dor que reedifica e salva!”

André Luiz nos diz: “Assim como o prazer pode prejudicar grandes criaturas, o sofrimento pode despertar o sentimento adormecido nas mentes inferiores”.

O pensamento de gratidão a Deus, dentro das sombras do sofrimento, é como raio brilhante de aurora, preludiando a vitória plena do Sol sobre as trevas densas da noite.

Qual de nós não terá sido defrontado pela tormenta da ignorância?

Todos tivemos pedras e espinhos na longa estrada da redenção.

Muitas vezes caímos; entretanto, a mão invisível do Senhor arrebatou-nos, misericordiosa, do mergulho na lama ou das furnas do abismo!

Tem coragem e levanta-te intimamente para o novo dia.

Segundo concluímos, se há alegria para todos os gostos, há também sofrimento para todas as necessidades.

Não é por acaso que Emmanuel nos diz: “Todo contratempo aceito com paciência e serenidade é sempre toque do amor de Deus, alertando-nos o coração e guiando-nos o caminho”.

A dor é uma benção que Deus envia a seus eleitos, portanto, não vos aflijais quando sofrerdes, ao contrário, bendizei a Deus Todo-Poderoso que vos marcou pela dor aqui neste mundo, para a glória no céu.

Ainda, segundo o espírito André Luiz, há mil processos de reajuste, no Universo Infinito em que se cumprem os Desígnios do Senhor, chamem-se eles:

Aflição,

Desencanto,

Cansaço,

Tédio,

Sofrimento,

Cárcere.

Nenhuma falta há, qualquer que ela seja, que não acarrete forçosa e inevitavelmente uma punição. Se não for hoje, será amanhã; se não for na vida atual, será noutra.

Entre essas faltas, necessário que se coloque na primeira fila, a carência de submissão à vontade de Deus!

Logo, se murmurarmos nas aflições, se não aceitarmos com resignação e como algo que devemos ter merecido, se acusarmos a Deus de ser injusto, nova dívida contraímos que nos faz perder o fruto que devíamos colher do sofrimento.

É por isso que teremos de recomeçar, absolutamente como se, a um credor que nos atormente, pagássemos uma conta e a tomássemos de novo por empréstimo. (Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. 5/12)

E assim É… O Mecanismo Divino ao qual estamos todos submetidos. Fé e Coragem é o que desejo a Todos.

Paz e Amor

Rodrigo Kladwan

Referências do site Somos Todos Um; Vários artigos espíritas e O Evangelho Segundo o Espiritismo.

4 comentários sobre “Sobre Dor e Sofrimento

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s