A compreensão absoluta

Trechos do livro: “The Lost Writings of Wu Hsin”.

Acredita-se que Wu Hsin viveu entre 403 – 221 a.C., na China, cem anos depois de Confúcio. Seu nome significa literalmente ‘não-mente’, e quase não há vestígios sobre ele.

Segundo Roy Melvin (organizador do livro), Wu Hsin foi influenciado pelas escolas de Confúcio, Mozi e pelo Taoísmo, e ajudou a criar as fundações do que seria mais tarde o Zen Budismo na China e no Japão. “Seus escritos estão cheios de paradoxos, que fazem com que a mente desacelere e, às vezes, até mesmo pare.

Lendo Wu Hsin, é preciso refletir. No entanto, não é uma reflexão ativa, mas passiva, da mesma forma que alguém põe algo no forno e deixa assar um pouco”. Roy Melvin.

“Não se apegue a nenhum método, caminho ou professor. A corda que te resgata do rio pode ser usada para te enforcar”. Wu Hsin.

“Muitos dias de silêncio são necessários para se recuperar da futilidade das palavras”. Wu Hsin.

“Ninguém pode ter o suficiente daquilo que não satisfaz”. Wu Hsin.

“A quietude não é a ausência de pensamento. A quietude é anterior a ambos. A ausência e a presença. Ela não pode ser criada, mas pode ser encontrada”. Wu Hsin.

Desfrute!!

RK

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: