A crise dos imigrantes: É tudo parte da agenda!

Horror! Não há melhor palavra para descrever o que tem acontecido nos últimos meses na chamada “crise dos imigrantes”. Nos últimos meses, vimos imagens incessantes veiculadas na mídia de imigrantes que se afogaram no mar Mediterrâneo, vítimas dos muitos barcos superlotados que tentaram chegar à costa sul da Europa – a maioria oriundos da Síria e norte da África – fugindo das guerras que têm assolado seus países, onde o Estado Islâmico (ISIS) tem trazido ameaças e destruições, enquanto a coalizão norte-americana não para de ‘abençoá-los’ com ricas ofensivas em contrapartida.

imigrants

A imigração massiva de refugiados para a Europa, no entanto, tem criado grandes problemas políticos e sociais e tem sido tema de bastante debate recentemente, sobre se os países deveriam ou não aceitá-los ou “o que fazer com tanta gente” ou ainda “quantos refugiados deveriam eles aceitar”. O que parece um tanto inédito desta vez é que as grandes mídias parecem estar nitidamente apoiando o acolhimento desses refugiados na Europa, ou seja, a mesma mídia que sempre serviu os interesses da Elite está fazendo propaganda emocional para comover o público a acolhê-los. Além disso, é surpreendente o posicionamento das autoridades europeias em relação à crise. Por quê? Será que a “crise dos imigrantes” é mais um item da pauta da Agenda da Elite? Vamos entender.

O ISIS

O Estado Islâmico, ou ISIS, foi criado pelas mesmas forças que estão lutando contra ele, para gerar “medo e pânico” e justificar a invasão americana no Oriente Médio. Mas como o ISIS conseguiu tanto armamento: centenas de veículos armados, caminhonetes, tanques, munições e armas? E o pior:  a maioria desses produtos é made in USA abandonado pelas tropas americanas ao deixarem o Iraque em 2011 e por forças militares no Iraque, treinadas pelos EUA nesse meio tempo.

É sério que a mídia quer que acreditemos que os americanos foram amadores por terem deixado tanto armamento naquela região (muitos em excelente condições de uso) pensando que ninguém poderia utilizá-los algum dia?

Será que essas tropas altamente treinadas não poderiam ter destruído tudo antes de deixar aquelas regiões? Será que eles são tão amadores assim? Claro que não, foi tudo planejado. Isso é na verdade uma forma de armar o ISIS.

iraq_captured_us_humvees_460“Vamos deixar esta bela frota de milhares de Humvees em perfeitas condições de uso aqui. Até parece que alguém vai querer pegá-los!”

Outro objetivo da criação do ISIS, além de justificar invasões no Oriente Médio e gerar pânico, seria justificar a repressão e a alta vigilância no Ocidente, fabricando ameaças internas, que justificará ainda mais a supressão de direitos e o aumento do Estado Policial. Em suma, o ISIS é o inimigo perfeito, porque ele é resistente, perdurável e na medida certa: ele coincidentemente ataca os alvos que interessam à Agenda da Elite. Em outras palavras, o ISIS é o inimigo que os EUA sempre quis ter, pois ele pode ser facilmente e perfeitamente usado pela a Elite para avançar sua agenda no Oriente Médio. O ISIS tenta derrubar justamente governos que os americanos almejam varrer há muito tempo. Parece mais que o grupo terrorista está ajudando os americanos e sua coligação a alcançarem seus objetivos militares no Oriente Médio do que qualquer outra coisa.

Ok, mas o que há por trás da crise dos imigrantes?

~ Acolhendo Refugiados ~

A crise dos imigrantes foi provavelmente planejada desde o começo. O que acontece quando você começa a bombardear uma região ostensivamente por um longo tempo?

Existem milhões de pessoas no mundo que já procuraram proteção em outras fronteiras devido a conflitos, não seria diferente dessa vez na Síria. Eles sabiam muito bem o que poderia acontecer.

O maior grupo de imigrantes é de sírios, que fogem da violenta guerra em curso no país. Afegãos e eritreus vêm em seguida, geralmente tentando escapar da pobreza e de violações aos direitos humanos. Os grupos originários da Nigéria e do Kosovo também são grandes – pobres e marginalizados integrantes do povo romà (cigano) são boa parte dos imigrantes vindos do último país. De acordo com dados da ONU (Organização das Nações Unidas), cerca de 2,5 mil imigrantes se afogaram no mar Mediterrâneo neste ano vítimas dos muitos barcos superlotados que tentam chegar à costa da Itália e da Grécia.

O fato mais interessante em tudo isso é que a mídia e a maior parte dos governos estão nitidamente apoiando a entrada dos refugiados na Europa –  a mesma mídia que sempre serviu os interesses da Elite que, por sua vez, tem um histórico grave de racismo, xenofobia, além do velho ódio ao islã. Por que os governos desses países parecem tão receptivos? A resposta não tem nada a ver com a economia ou mão de obra de sobra, nem tampouco solidariedade. A ordem com certeza veio de cima. A imigração na Europa não é um acontecimento espontâneo ou de outra forma aleatória, mas parte de uma agenda para trazer caos ao continente.

refugeeswlcPasseatas por toda a Europa, mostram o quanto os europeus aceitaram a ideia de receber os refugiados.

Syria-Crisis-Dead-3-year-old-Syrian-Boy-On-a-Turkish-Beach-6

Imagem de bebê encontrado morto na praia torna-se ícone da crise migratória e é usada pela mídia para comover o mundo inteiro a abraçar a ideia.

Não estou dizendo que os europeus não devem receber os refugiados. Ajudar a quem precisa deve ser a primeira atitude de um ser humano SEMPRE. Portanto, a Europa não apenas pode como deve aceitá-los. O ponto que quero trazer é que os intentos por trás dessa recepção não são verdadeiramente o de acolher os refugiados e providencia-los um lar feliz e seguro, mas de trazer caos e transtorno para a Europa, pois é assim que manda o script da Elite.

Poderíamos destacar vários motivos pelos quais esta crise migratória poderá ser usada pela Elite. Porém, o único e principal motivo que pretendo destacar é a “geração de caos” para justificar medidas de repressão na Europa. Isso mesmo, a entrada de milhares de imigrantes islâmicos na Europa é o cenário perfeito para que a propaganda de “medo do ISIS” avance por novos territórios. Quando vi a crise migratória se acentuando no começo do ano e milhares de muçulmanos entrando na Europa daquele maneira, já suspeitei que logo a mídia iria dizer que “membros do ISIS se infiltraram entre os refugiados para se instalarem secretamente na Europa”. E foi exatamente isso o que tem acontecido.

Há meses que a ameaça de infiltração do ISIS entre os refugiados tem sido alertada. Na última semana, o jornal britânico Sunday Express, citando um agente do Estado Islâmico, escreveu que mais de 4.000 combatentes da organização terrorista penetraram na Europa sob a capa de refugiados.

Os membros do EI infiltram-se no fluxo de migrantes nas cidades turcas, a partir das quais através do mar Mediterrâneo estes chegam à Itália e depois disso à Alemanha e Suécia. O agente do Estado Islâmico contatado pela edição afirmou que a infiltração dos militantes é o início de vingança pelos ataques aéreos contra as posições do grupo efetuados pela coalizão internacional liderada pelos EUA.

“Nós queremos estabelecer o califado não somente na Síria, mas também no mundo inteiro”, sublinhou a fonte.

Segundo o diretor do Instituto russo de Estudos Políticos Aplicados, Grigory Dobromelov, a atual crise migratória na Europa é um fenômeno artificial:

“A situação no Oriente Médio não piorou durante os últimos meses tão radicalmente para que na fronteira com a União Europeia se concentrasse tal número de refugiados. É absolutamente óbvio que esta crise é artificial. É absolutamente óbvio que o problema é exagerado e hipertrofiado. É absolutamente óbvio que atrás disso está uma disposição geopolítica séria”.

Segundo o cientista político, a ameaça descrita pelo Sunday Express é bastante real:

“Com certeza, existe uma ameaça séria de que terroristas do Estado Islâmico penetrem no território da UE sob a capa de refugiados. Porque o caos que reina agora na fronteira com a União Europeia contribui para a penetração descontrolada de ilegais e nenhum serviço secreto pode detectar neste mar de migrantes os alvos que eles vigiam”.

Fonte1 | Fonte2

Quando se trata de política mundial, tudo é muito bem calculado e orquestrado. O acolhimento de refugiados na Europa, embora seja um gesto honroso dos cidadãos europeus, na minha opinião, não é um “gesto de solidariedade” da Elite, que está por trás de tudo isso. É uma forma de acolher pessoas ligadas ao ISIS no território europeu com o propósito de gerar um clima de caos e medo. Além disso, pode ser também uma forma de futuramente atribuir aos refugiados a culpa para qualquer ato de terrorismo que possa acontecer na Europa daqui por diante, fomentando mais ainda o ódio ao islã (que é parte da agenda há muito tempo, lembre-se do Charlie Hebdo) e criando um sentimento hostil contra essas pessoas, parecido com que os judeus experimentaram no século passado.

A notícia de que o ISIS está infiltrado na Europa vai gerar repressão, medo, caos e um estado policial cada vez mais rígido, pois só haverá uma grande solução se houver um grande problema. É assim que funciona o pensamento da elite. Ordo ab Chao.

Enquanto isso, nós desse lado de cá, [com problemas também sérios], devemos manter nosso bom senso e vigilância, não cedendo em demasia aos apelos midiáticos e consumistas que o governo sujo mundial nos impõe. É sensato buscar uma vida mais natural, pegar mais sol (sem protetor), rir e correr atrás de nossos sonhos, Não alimentar medos e culpas que fazem banalizar ainda mais a sociedade em crise que vivemos. Meditar, orar, despertar… Vamos evoluir!?

Abraços, Paz e Luz ;)

Rodrigo Kladwan

Um comentário sobre “A crise dos imigrantes: É tudo parte da agenda!

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s