H.A.A.R.P. – A arma eletromagnética de destruição em massa do governo secreto

H.A.A.R.P. – A arma eletromagnética de destruição em massa do governo secreto

  

 

 

 

 

 

  

H.A.A.R.P. é a abreviatura de High Frequency Advance Auroral Research Project é uma das armas poderosas do governo secreto, disfarçada como se pertencesse ao DOD – Departamento e Defesa dos Estados Unidos e, em seu gênero, também a maior do mundo – entrementes, vem sendo tema de uma debate acalorado há mais uma década para definir, exatamente, qual a natureza desse projeto e para que serve.

Localizado no sudeste do Alaska, na cidade de Gakona esta é apenas umas das instalações do governo secreto. Na verdade existem construções espalhadas pelo mundo. Existem instalações também na Groenlândia, Noruega, Rússia, Austrália e mais em outros lugares do globo. Quando saímos de nossos corpos à noite em experiências extracorpóreas vemos trabalhos secretos sendo efetuados em um bom número de lugares no mundo em que antenas captam energia da ionosfera do planeta e a direcionam para algum outro ponto do globo. Vale informar que a ionosfera tem grande quantidade de energia e existem cerca de oitocentas tormentas elétricas que podem se descarregar a qualquer momento sobre a Terra. Existem milhões ampères de eletricidade em forma de raios. Fazem experiências deste tipo de desde um mil novecentos e noventa e cinco e estão sempre a aperfeiçoando; algumas vezes conseguem sucesso, outras vezes não. Mas agora, depois de dezesseis anos estão logrando um sucesso maior em seus intentos.

O H.A.A.R.P. é um campo de antenas construídas e interconectadas de tal forma que o conjunto funciona como se fosse uma única e imensa antena. De fato, é a maior estação emissora de ondas de rádio do mundo inteiro, com um poder de irradiação efetivo de três bilhões e seiscentos milhões de watts – setenta e dois mil vezes mais poderosa que a maior estação de rádio comercial legalmente autorizada nos Estados Unidos. Só que suas transmissões não se destinam aos ouvidos humanos. Seu propósito é injetar toda essa energia de frequência de rádio em um único ponto localizado na região superior da atmosfera, uma faixa denominada ionosfera. Esse alvo terá aproximadamente dezenove quilômetros de comprimento por três de largura e uma altitude de oitenta a cento e quarenta e quatro quilômetros.

E porque eles querem injetar toda essa energia na ionosfera? O governo norte-americano que é manipulado totalmente pelo governo secreto multinacional existente dizem que é apenas uma instalação para pesquisas puramente científicas destinada a aumentar nossa compreensão sobre as camadas superiores da atmosfera, que usam a energia para penetrar depósitos de mísseis, túneis subterrâneos ou comunicar-se com submarinos, etc. No entanto, sabemos que se trata de uma arma eletromagnética que faz muito mais coisas do que eles alegam ou do que é informado ou desinformado pela mídia controlada. Por isso, seus críticos e detratores não estão convencidos das informações vinculadas pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos e pela imprensa.

Até como aparte neste assunto, sugerimos que vocês assistam no youtube vídeos do ex-governador norte-americano Jesse Ventura que faz uma pesquisa sobre o H.A.A.R.P. e quando ele tenta entrar nas instalações de Gakona, no Alaska é proibido de fazê-lo e ainda encontra um forte esquema de defesa da instalação, mostrando nas entrelinhas que se trata de um local, onde se fazem experiências secretas e que nenhuma pessoa e nem um ex-governador pode saber o que realmente se passa.

O H.A.A.R.P. é tão versátil que pode criar armas do tipo “Guerra nas Estrelas” baseadas no solo. Ele pode ser um radar avançado, capaz de ir além do horizonte, seguindo a curvatura da Terra. Pode resultar de um esquema de destruição de mísseis intercontinentais. Pode aniquilar os elementos eletrônicos de satélites de espionagem de inimigos. Pode ser usado para interferir nas comunicações de rádio desse inimigo. Mas tudo isto é apenas a ponta do iceberg.

Mesmo antes do H.A.A.R.P. começasse a efetuar seus primeiros testes, pesquisadores já estavam investigando o potencial de realização que a sua tecnologia poderia proporcionar. Muitas coisas que eles realmente descobriram parecem até histórias de ficção científica, mas não são. Alguns relataram que o H.A.A.R.P. seria usado para controle meteorológico. Outros predisseram que seria utilizado para fazer explodir vulcões ou desencadear terremotos. Outros, ainda, preconizaram sua capacidade de controlar mentes das populações-alvo, influenciando emoções e atitudes nas cabeças das pessoas. Alguns especularam que esse expediente seria usado pela Nova Ordem Mundial a fim de conquistar o mundo, projetando imagens holográficas no céu ao mesmo tempo que transmitiriam pensamentos diretamente para os nossos cérebros, convencendo-nos a aceitar o novo “Deus” que eles mesmos haviam criado. Havia outros, também, que achavam que o projeto inteiro faria parte de um sistema de defesa de caráter planetário, destinado a nos proteger da invasão de alienígenas vindos do espaço exterior. E o problema é que nos informamos que muito disso se realizou ou ainda está em vias de ser realizado. É o governo secreto querendo controlar de vez toda a população utilizando a super-arma eletromagnética, infelizmente.

Apesar de ter começado a funcionar apenas em um mil novecentos e noventa e cinco, a ideia já havia sido lançada há muito tempo; ainda nos tempos do inventor Nikolas Tesla que dizia que poderia se construir uma invenção que captaria a energia das altas atmosferas da Terra, que possuíam um poder e uma frequência altíssima, tremenda e usá-la em benefício da humanidade. Mas foi só em um mil novecentos e oitenta e sete que um inventor que morava em Spring, no Texas chamado Bernard J. Eastlund patenteou a invenção. É claro, que sabendo desta invenção e do que ela poderia fazer os militares já prontamente se apoderaram e se atualizaram das informações dela. O primeiro livro escrito a respeito do H.A.A.R.P. foi Angels don’t play this H.A.A.R.P.: advances on Tesla technology, de autoria do doutor Nick Begich, PH.D., e coautoria de Jeane Manning. Quando a obra explodiu na cena literária durante o outono de um mil novecentos e noventa e cinco, acendeu uma verdadeira “tempestade de fogo” de controvérsias. Tanto na internet como nos círculos dos programas de rádio. Até mesmo algumas publicações mais conservadoras como Popular Science, dispuseram-se a publicar a história. A polêmica foi generalizada, tanto o público leigo, como cientistas renomados se dispuseram a dissertar e debater o assunto. Foi, na época, criada até uma comissão que emitiu um relatório em que mencionava: Através do Programa de Pesquisa de Ativação de Alta Frequência Auroral estão criando novas armas integralmente geofísicas que podem influenciar o ambiente imediato nas cercanias da Terra, por meio e ondas de rádio de alta frequência. O significado deste salto qualitativo pode ser comparado à transição de armas brancas de aço forjado para as armas de fogo – ou das armas convencionais para o armamento nuclear. Este novo tipo de arma difere dos anteriores porque o ambiente sideral próximo à Terra torna-se simultaneamente um objeto de sua influência direta e um de seus componentes. Poderão ser criadas novas armas capazes de interromper as linhas de comunicação radiofônicas e desativar os equipamentos instalados em satélites, naves e foguetes espaciais; provocar graves acidentes em redes de transmissão de eletricidade e sérios danos em oleodutos ou gasodutos e ocasionar um impacto negativo sobre a saúde mental das populações de regiões inteiras. Então, a tecnologia H.A.A.R.P., real ou imaginária, deixou muitas pessoas abaladas, disparando sinais de alarme dos cientistas, repórteres e cidadãos engajados em questões ambientais, políticas, sociológicas e na área da saúde.

Oficial e mentirosamente se diz que as verbas que sustentam o projeto H.A.A.R.P. provêm do orçamento do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e que este é um projeto conjunto da Aeronáutica e da Marinha dos Estados Unidos e às vezes para fazer uma política de instituição aberta permite, muito de vez em quando, que civis e alunos de universidades a visitem, o que ocorre uma ou duas vezes por ano. Na verdade o projeto recebe muito mais dinheiro do Federal Reserve dos Estados Unidos que é o banco central norte-americano. Em outros artigos já falamos que este órgão que existe desde um mil novecentos e vinte é controlado pelo governo secreto e a maioria dos trilhões de dólares que os países desenvolvidos têm de lucro e mesmo o dinheiro de pagamento de dívidas externas dos países do Terceiro Mundo, vão, em última instância parar no Federal Reserve, que é uma instituição que coloca dólares no mercado cobrando juros e que não precisa pagar impostos e nem apresentar balanço. Informamos que se o dinheiro que existe guardado no Federal Reserve fosse distribuído equitativamente para toda a população mundial de seis bilhões e seiscentos milhões de habitantes, simplesmente acabaria a miséria do mundo. Também, o tal governo secreto possui tecnologia baseada em energia livre e que poderia ser gratuita se distribuíssem ao povo.

O H.A.A.R.P. foi projetado para que suas experiências possam ser conduzidas por controle remoto. Isso significa que as pessoas que realizam os experimentos secretos ou não, podem se encontrar em qualquer parte do mundo, usando a internet e esquemas semelhantes para controlar o que acontece nas instalações espalhadas pelo mundo. Durante estas experiências remotamente dirigidas, os sujeitos que trabalham no H.A.A.R.P. só estão lá para ligar o equipamento, olhar os mostradores e observar as setas dos painéis de válvulas a fim de garantir que tudo esteja funcionando adequadamente, mas as instruções reais estão vindo de um lugar bem diferente. Isto é um claro potencial para que o acobertamento de “operações sujas” ocorra, sem que os civis que trabalham nas instalações físicas do H.A.A.R.P. tenham a menor ideia do que está acontecendo. Este é o motivo pelo qual a Federação Galáctica não destrói estas instalações, atirando do espaço. Primeiro que são civis inocentes que trabalham nelas e segundo que o conjunto de antenas está sempre ligado e captando energia da ionosfera, ou seja, podemos dizer que as instalações já fazem parte do corpo da ionosfera e se atirarmos nelas, haverá uma reação em cadeia por toda a ionosfera que pode tirar a capa protetora desta parte da atmosfera e assim, aniquilar de vez com o planeta.

Agora, vamos explicar mais especificamente como funciona o H.A.A.R.P.: as antenas emitem pulsos artificialmente até a ionosfera do planeta criando ondas gigantescas ou não que podem percorrer grandes distâncias da atmosfera interior. Há uma eletricidade flutuando sobre a Terra chamada eletrojet aureal; ao depositar a energia captada na ionosfera, esta energia muda, gerando o que chamam de LF – Low Frequency e VLF – Very Low Frequency. O H.A.A.R.P. tem a intenção de trazer esse eletrojet até a Terra e enviar feixes de radiofrequência dentro da ionosfera. Os eletrojets afetam o clima global e algumas vezes durante uma tempestade elétrica, chegam a tocar a Terra, afetando as comunicações elétricas e por cabos, subministros elétricos e também alterações no estado do ser humano. Já sabemos, que podem provocar depressão, diarreia, desmaios, tonturas, dores de cabeça e de ouvido, enxaquecas, insônia, mal humor, aumento de urina à noite, repentinas acelerações de pulso, pontadas cardíacas, prurido cutâneo, vertigens, sangramento nasal, aumento da pressão sanguínea e tremores corporais.

O H.A.A.R.P. atuaria como um grande aquecedor ionosférico, o mais potente do mundo. É a arma geofísica mais sofisticada criada pelo homem da Terra. Então é um projeto de dominar o mundo? O H.A.A.R.P. com seus centos de watts de potência e antenas pode ser considerado como um verdadeiro “calefator” da alta atmosfera, provocando uma tremenda ionização que pode acarretar consequências imprevisíveis, e que graças a seu efeito “espelho” poderia dirigir seus efeitos a qualquer zona do planeta. É uma arma que pode intensificar tormentas, provocar inundações, trombas d’água, prolongar secas, furacões, tornados, a ativação de vulcões, terremotos, tsunamis e até agir na mente das pessoas. E pode fazer isso, prejudicando, por exemplo, um inimigo sem que este se aperceba de nada.

Seus defensores alegam um sem fim de vantagens de caráter científico, geofísico e militar, mas seus delatores estão convencidos de que poderiam ter consequências catastróficas para nosso planeta, desde arriscadas modificações na ionosfera, e até a manipulação da mente humana; poderiam acontecer consequências piores que a de testes nucleares. O H.A.A.R.P. forma parte de um sistema integrado de armamentos, que tem consequências ecológicas potencialmente devastadoras. Relaciona-se com cinquenta anos de programas intensos e cada vez mais e mais destrutivos para compreender e controlar a atmosfera superior. Já fazem experiências em associar o H.A.A.R.P. com um laboratório espacial que já está em fase final de construção. Neste caso, a capacidade de combinação H.A.A.R.P. / SPACELAB e foguete espacial de produzir quantidades muito grandes de energia, comparável a uma bomba atômica, em qualquer parte da Terra, por meio de feixes de laser e partículas é extremamente perigoso. Também já existe a possibilidade de se criar um escudo espacial contra a entrada de armas no território nacional, ou, para os mais ingênuos, como um sistema de reparação da camada de ozônio. O H.A.A.R.P. pode contribuir na mudança climática bombardeando intensivamente a atmosfera com os raios de alta frequência. Contendo as energias de baixa frequência em alta intensidade, poderia também afetar o cérebro humano e não se pode excluir efeitos tectônicos. Pretendem então, manipular o clima. Na verdade já fazem isso. O próprio criador do aquecedor ionosférico Bernard Eastlund assegura que seu invento poderia, também, controlar o clima, operando cem por cento. Poderiam se formar anomalias climatológicas sobre os ambos os hemisférios terrestres, seguindo a Teoria de Ressonância empregada por Nikolas Tesla nos seus inventos. Um câmbio climatológico em um hemisfério desencadearia outro câmbio no outro hemisfério. Os cientistas da Universidade de Stanford dizem que o clima mundial poderia ser controlado mediante a transmissão de sinais de rádio relativamente ao cinturão de Van Allen. Por ressonância, pequenos sinais ativadores podem controlar energias enormes. Em vez de usarem o H.A.A.R.P. para levar água onde precisa chuva onde precisa seca onde é mais útil, estabilizar a camada de ozônio, e vários outros benefícios que poderia fazer, ele se tornou, na verdade, uma arma de destruição em massa. Controlado pelo governo secreto, constitui-se num instrumento de conquista capaz de desestabilizar seletivamente os sistemas agrícolas e ecológicos de regiões inteiras.

Verificamos que toda vez que ocorre um fenômeno catastrófico provocado pela arma H.A.A.R.P., acontecem alguns fenômenos estranhos nos céus: criam-se, às vezes, ondas coloridas parecidas à aurora boreal e austral, mas em regiões que não são polares, como o que aconteceu um pouco antes de um terremoto na China; aparece uma condensação de nuvens num determinado lugar, aparecendo um centro redondo, onde não há nuvem nenhuma, como um caso que ocorreu no Brasil; aparecem arco-íris com cores diferentes das cores de um arco-íris comum; aparece algo similar a furacões ou tornados cuja base inferior possui ondas luminosíssimas condensadas de energia e houve um fenômeno destes que ocorreu no Golfo Pérsico e depois apareceram vários golfinhos, baleias e peixes mortos com as cores da pele modificadas para preto e com alto nível de radiação; aparecem espirais se movimentando no céu como aconteceu na Noruega. Sugiro uma ideia: vá ao youtube e coloque a palavra H.A.A.R.P. e buscar e veja com seus próprios olhos estes fenômenos. Eles ocorrem em várias partes do mundo e em grande frequência. Algumas fotos destas ocorrências estão nas imagens registradas no início deste artigo.

Agora vamos falar sobre o governo secreto. Ele é multinacional – possui, entre outros, norte-americanos, franceses, ingleses, japoneses, russos, alemães, italianos, judeus sionistas e outros, certos reis, príncipes, imperadores, políticos, religiosos, industriais, banqueiros internacionais, donos de multinacionais, profissionais da mídia, cientistas, alguns artistas, etc. E ele controla tanto os governos oficiais e muitos dos integrantes destes governos constituídos nem sabem que são usados – são inocentes úteis do governo secreto. O governo oculto também controla as organizações terroristas e gerenciam até os esquemas de drogas que existe no mundo; ou seja, controlam e sempre controlaram os dois lados. Financiaram tanto aliados quanto a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial e continuam fazendo isto até hoje, pois crises e guerras dão muito retorno financeiro para eles. E, para conhecimento de vocês a crise de um mil novecentos e vinte e nove, nos Estados Unidos, aconteceu porque o próprio Federal Reserve começou cobrar os juros do dinheiro que foi colocado no mercado, cobrando as dívidas da população, e com isso, faliram muita gente. Fizeram a mesma coisa em dois mil e oito, falindo bancos que tiveram que ser vendidos para, em última instância, serem comprados por órgãos e pessoas integrantes do governo secreto.

Também fazem partes de sociedades de sociedades secretas diversas, macabras em que oferecem cidadãos simples do mundo para sacrifícios para supostos deuses que são os seres regressivos extraterrestres e que de deuses não têm nada, são obsessores espaciais, que como gafanhotos, querem destruir os mundos por onde passam e extinguir seus recursos naturais e escravizar a população. No atentado de onze de setembro de dois mil e um, ofereceram mais de três mil pessoas para esse sacrifício humano, criando um atentado em que planejaram a implosão dos prédios do World Trade Center, como demoliram, também, um terceiro prédio, no mesmo dia, o World Trade Center sete que é onde funcionava o Departamento de Segurança nacional e sem que nenhum avião batesse neste prédio, implodiram-no também algumas horas depois da queda das torres gêmeas. Sacrificaram também mais de trezentos mil haitianos através do uso da arma H.A.A.R.P. no ano dois mil e dez através de um grande terremoto controlado. E estas pessoas sacrificadas, tanto dos Estados Unidos como do Haiti, continuam, a maioria deles, vagando em estado de pânico e desespero pelo plano astral até hoje, exigindo que as naves da Aliança Galáctica entrem nos bolsões de energia negativos criados para tentar fazer estas consciências recobrarem a lucidez, para que possam ser levados para novos ambientes de luz. Este trabalho multidimensional de resgate, por ter sido resultado de uma catástrofe, é lento e demora muito tempo para que encaminhemos as vítimas.

Cerca de setenta e cinco por cento dos fenômenos catastróficos que ocorrem no mundo atualmente, são provocados pela arma H.A.A.R.P., então só vinte e cinco por cento são naturais. Vejam, então, a gravidade do problema.

E não é só para efeito de oferecer pessoas para sacrifício humano que estas catástrofes ocorrem – é incrível que em pleno século vinte e um ainda existam pessoas que façam estas obras macabras – mas também para tornarem as pessoas do governo secreto mais ricas e com mais poder. Mesmo não falando só das catástrofes, mas de invasões militares a países. Vamos fazer um aparte em nosso assunto. Invadiram o Afeganistão e o Iraque, destruíram estes países e estão roubando seu petróleo; e como é necessário que alguma construtora vá até lá para reiniciar a reconstrução e nestes casos, “por acaso” a empresa que ganhou a licitação para fazer a reconstrução dos países, possui como seus donos os dois ex-presidentes parentes dos Estados Unidos que estão ainda ganhando dinheiro para reconstruir dois países que eles próprios devastaram. E estes dois senhores são acionistas grandes de uma empresa de petróleo que pertence, nada mais, nada menos à família Bin Laden – vejam só que ironia e como a mídia não coloca a público estas informações e prefere usar a técnica da desinformação.

O governo secreto quer ficar cada vez mais rico e engordar ainda mais seu dinheiro que passa de trilhões e trilhões de dólares que estão armazenados no Federal Reserve, ainda usam a arma do H.A.A.R.P. para ganhar mais dinheiro: patrocinaram os tsunamis ocorridos no Oceano Índico, o do Japão o de Samoa, os terremotos do Japão, da Turquia, da China, no Chile, na Nova Zelândia, no Triângulo de Ouro que compreende os países chamados Mianmar, Ex-Birmânia, Tailândia e Laos que aconteceu agora no dia vinte e quatro de março.

Vamos analisar alguns casos separadamente.

Terremoto do Chile em dois mil e oito: Até antes do terremoto era um país estável financeiramente, que possuía um IDH – que é um índice que mede a qualidade de vida – mais alto da América Latina. Não precisava da ajuda de ninguém. Mas, foi marcada uma reunião com uma Secretária dos Estados Unidos que a própria imprensa achava inútil. Dizia-se que haveria apenas alguns acordos diplomáticos e culturais e que financeiramente não haveria nada em pauta, pois o Chile estava muito bem em quase todos os setores. Mas, três dias antes da chegada da Secretária dos Estados Unidos aconteceu um grande terremoto no Chile, que além de matar pessoas, deu um prejuízo gigantesco para os nossos irmãos chilenos. Conclusão: fizeram e ainda fazem empréstimos aos Estados Unidos. Notem como foi “providencial” este terremoto, na hora e momento certo para os Estados Unidos, e em última instância para o governo secreto que controla os governos oficiais. Mesmo depois deste terremoto continuaram acontecendo outros durante algum tempo, tanto que até, num incidente, oitenta mineiros chilenos ficaram presos a oitocentos metros abaixo do solo e foram os próprios norte-americanos que ofereceram ajuda para tirá-los de lá. Receberam ajuda da NASA “providencialmente”. (Aqui não queremos denunciar ou desmerecer o pessoal da NASA, pois provavelmente estes cientistas são civis comuns que não fazem parte de nenhum governo secreto, mas vejam como as coisas acontecem).

Terremoto da Nova Zelândia em dois mil e dez: a Nova Zelândia é um dos melhores países do mundo para se viver, possui um desenvolvimento impecável e um IDH que mede a qualidade de vida numa cifra de zero vírgula novecentos e um, que é uma das maiores do mundo, ganhando, por exemplo, da Itália. Simplesmente durante um mês a cidade de Christchurch, a segunda maior do país começou a sofrer terremotos que destruíram a referida cidade. A Nova Zelândia está tendo que fazer pesadíssimos empréstimos. O governo secreto quer estabelecer uma chamada Nova Ordem Mundial, diminuindo a população do mundo para quinhentos milhões de pessoas, tirar as liberdades individuais e até implantar chips de rastreamento na pele dos cidadãos; criar cidades, com no máximo quinhentos mil habitantes e totalmente controladas. E veja a ironia deste parágrafo: A tradução da cidade de Christchurch significa Igreja de Cristo.

Tsunami ocorrido no Oceano Índico: A Indonésia possui dezessete mil e quinhentas ilhas e existem outros países e ilhas na região como Malásia, Brunei, Cingapura, Timor Leste e Papua Nova Guiné; mesmo mais ao norte a Tailândia, há a Índia e Bangladesh. Local onde existem as monções e onde o governo secreto ainda não havia conseguido controlar como queria. Na época queriam caminho livre por entre as muitas ilhas que lá existem, bem como intervir, concedendo empréstimos a estes países. No entanto, todos eles sem exceção, não queriam nenhum apoio e muito menos dar acesso para que as forças da OTAN – Organização do Tratado do Atlântico Norte trafegasse livremente por entre suas ilhas (Cabe salientar que a OTAN é um órgão militar ligado à ONU – Organização das Nações Unidas, que é última instância é um órgão subordinado secretamente ao governo oculto). Exatamente uma semana após este impasse que foi criado aparece um tsunami gigantesco que varre todos os países citados neste parágrafo e mais outras ilhas. E vejam: um dia após o ocorrido já haviam porta-aviões ingleses e norte-americanos da OTAN oferecendo roupas e comidas aos montes às vítimas do tsunami. Puxa, em um dia só “providencialmente” a OTAN já tinha roupas e alimentos para oferecer: como foi rápida a ação neste caso, ora o tsunami já estava planejado e premeditado; não é de se estranhar a rapidez no acolhimento e assistência às vítimas. E todos os países do Oceano índico aceitaram todas as concessões de tráfego livre da OTAN pelas regiões, além de terem que fazer empréstimos gigantescos para reparação dos prejuízos causados pela catástrofe.

Terremoto e Tsunami do Japão em dois mil e onze: Sugerimos, neste caso, que vocês assistam os vídeos no youtube do Sr. Benjamin Fulford. Há anos atrás ele já dizia que o governo secreto queria controlar a economia japonesa, que na época era a segunda do mundo, mas o governo local não aceitava tal intromissão em seus assuntos internos. Naquela ocasião, o governo secreto, não contente com a resposta japonesa disse que se o Japão não aceitasse as normas impostas um terremoto aconteceria três dias depois exatamente na região de Niigata, onde exatamente existe um reator nuclear. O terremoto aconteceu como foi dito, mas não houve vazamento nuclear, ou pelos, oficialmente, até hoje, se disse que não. Naquela ocasião, tendo em vista o poder demonstrado pelo governo secreto, fez com que o governo japonês retrocedesse um pouco e aceitasse algumas imposições que foram feitas. O governo secreto entendeu por aceitável a concessão feita pelos japoneses. Só que em dois mil e onze, novamente o governo secreto exigiu mais concessões que novamente não foram aceitas pelo governo japonês, o que originou o terremoto e tsunami recentes e tudo o que aconteceu depois, até com o vazamento nuclear do reator nuclear da cidade de Fukushima que já sabemos, já espalhou a radiatividade para todo o mundo e não só para o Japão como falam na mídia. A ciência convencional só percebe a radiação física, só que a radiação também atinge o plano astral que já está todo contaminado em todo o mundo. Neste caso específico, não foi utilizada apenas a arma H.A.A.R.P., mas também perto das costas japonesas havia navios e submarinos norte-americanos que lançaram bombas nucleares nas profundezas do Mar do Japão que também ajudaram a criar junto com o H.A.A.R.P. o tsunami ocorrido. Assista os vídeos do youtube informados mais abaixo.

Terremoto em Mianmar, Laos e Tailândia: No dia vinte e quatro de março houve um terremoto de quase sete graus na escala Richter nas regiões acima. Simplesmente estávamos projetados conscientemente no local e vimos mosteiros e cidades destruídas, bem como uma construção do exército. Os amparadores me levaram até uma cidade que parecia ter o nome de Darai e vi que haviam famílias em estado de pânico que pelo estado psicológico ainda não podiam ser encaminhadas. Vi construções destruídas e havia uma família que não entendia o que havia acontecido. Tentavam tocar as construções físicas, mas não conseguiam, pois como na região da nuca, atrás da cabeça não se via o cordão de prata, isto indicava que eles estavam desencarnados. A família era composta pelo pai e mãe e duas crianças. No plano extrafísico a comunicação é muitas vezes diferente, apesar de ele estar falando em birmanês pela para-boca do seu corpo astral eu conseguia ler e entender por telepatia o que ele queria dizer e ele também me entendia. Como os quatro familiares não estavam em estado de pânico, conseguimos abrir um vórtice de energia por onde esta família penetrou depois de ter aparecido no céu. Lembro-me que antes, falei para ele que agradecesse, na verdade, por todos os integrantes da família terem desencarnado e que todos iam juntos para outra dimensão de luz; e que pior seria se algum filho tivesse ficasse ficado vivo e órfão na dimensão física. Informo que antes de chegar a Mianmar, eu estava no espaço observando a arma H.A.A.R.P. da Rússia sendo utilizada para mandar os pulsos de energia ionosféricas para aquele local.

Trombas d’água, chuvas torrenciais, inundações e desmoronamentos no mundo todo, só que mais especialmente no Brasil, Austrália e Estados Unidos e outros lugares do globo: À noite, quando fazemos experiências-fora-do-corpo, às vezes observamos a Terra e visualizamos as armas H.A.A.R.P. que existem em todo o globo enviando pulsos de energia da atmosfera e direcionando as energias para algum ponto do planeta. Outro tipo de fenômeno que vai aumentar consideravelmente são as inundações no mundo. No Brasil, é normal acontecerem inundações e desmoronamentos, só que com a arma H.A.A.R.P. mais ativa e mais preparada agora, estas ocorrências vão aumentar geometricamente. Na Austrália, as ocorrências também são preocupantes e também nos Estados Unidos – notaram como o governo secreto é multinacional e não só norte-americano, pois até nos Estados Unidos ocorrências graves estão acontecendo e já aconteceram como também o atentado de onze de setembro de dois mil e um?

Também vemos que eles mandam a algum tempo vários pulsos para a falha geológica da Califórnia bem como para a região do Arkansas. O que queremos dizer é que nem sempre eles acertam. Ele estão sempre aperfeiçoando sua máquina até que a reação em cadeia esquente os lençóis subterrâneos e provoque a catástrofe. Também, às vezes, acontece uma catástrofe dupla: naturalmente uma catástrofe acontece e depois disso usam armas H.A.A.R.P. para direcionar pulsos de energia ionosférica para os mesmos locais, amplificando a intensidade e aumentando a destruição.

Normalmente, quando terminamos nossos artigos escrevemos frases de impacto, para acessar o Eu Superior ou fazer você refletir. Aqui vamos colocar uma frase que sugere que você fique esperto:

“ABRAM OS OLHOS: HÁ UM GOVERNO OCULTO DE COMPORTAMENTO BIPOLAR, QUE EM PÚBLICO APARENTA SER AMOROSO, SORRIDENTE, CARISMÁTICO, COM UMA AURA E OLHAR BRILHANTE E COMPORTAMENTO GENTIL, MAS QUE NOS BASTIDORES É MALDOSO, CANALHA, SÁDICO, CÍNICO, MENTIROSO, ASSASSINO, ARROGANTE E TOTALMENTE DISSIMULADO”.

OBSERVAÇÃO: COM RELAÇÃO AOS VÍDEOS DE BENJAMIN FULFORD, TAMBÉM EXISTE UM VÍDEO NO YOUTUBE QUE MOSTRA UMA REPORTAGEM DE FULFORD COM O SR. DAVID ROCKEFELLER. ASSISTA O VÍDEO E NOTE COMO O COMPORTAMENTO E AS RESPOSTAS DO SR. ROCKEFELLER INDICAM QUE ELE É UM DOS CABEÇAS DE UM SINISTRO E OCULTO MOVIMENTO. LEIA NAS ENTRELINHAS. ENDEREÇO DO VÍDEO NÚMERO UM QUE POSSUI CINCO PARTES:

http://www.youtube.com/watch?v=DaTTPRCsrpI&p=ADB4F0113B124139

E PRINCIPALMENTE, NESTE ARTIGO, NÃO PERCA DE FORMA ALGUMA DE ASSISTIR TAMBÉM O VÍDEO DO YOUTUBE COM O ENDEREÇO ABAIXO, TAMBÉM DE BENJAMIN FULFORD: VOCÊ VAI FICAR ESTARRECIDO. ESTAMOS DANDO NOME AOS BOIS. VEJA-O: REPETIMOS: É ABSOLUTAMENTE NECESSÁRIO QUE VOCÊ O ASSISTA: VOCÊ VAI SER ESCLARECIDO DO CONTEXTO DO QUE ATUALMENTE SE PASSA NO PLANETA TERRA.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=rjAXXKmnX8A

SE NÃO CONSEGUIR ACESSAR O VÍDEO COM O ENDEREÇO ACIMA, SIMPLESMENTE INSIRA NA PESQUISA DO YOUTUBE OS NOMES FULFORD PAPA BUSH KISINGER ROCKEFELLER E CLIQUE EM PESQUISAR.

Por Maori Mojave | Fonte

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s