Certamente, eu sou uma ameaça


Pergunta de Howard Sattler, da Rádio australiana 6PR:
O povo da Australia Ocidental quer conhecer você, seu povo. Poderia lhes contar que tipo de pessoa você é?

Eu não sei mesmo.
Eu apenas vivo momento a momento,portanto você não pode me confinar em uma personalidade. Você não pode me definir, você nao pode me prever. Nem eu mesmo sei o que estarei fazendo amanhã de manhã.
Eu estou simplesmente tão aberto quanto a existência, e tão indefinivel quanto a própria existência. Portanto as pessoas têm que descobrir o que elas querem. Eu estou disponivel.
Existem pessoas que me amam, existem pessoas que gostariam de me matar. Eles escolheram partes diferentes de mim. Eles focalizaram seus olhos de acordo com seus preconceitos.
Mas eu não estou de forma alguma preocupado com a opinião dos outros. Eu não tenho nenhuma opinião sobre as pessoas, nenhum julgamento sobre elas.

Howard Sattler:
Você se considera uma ameaça para as pessoas e seus futuros? Muitas pessoas acham que você é.

Talvez. Se você não entender o que estou dizendo, eu, com certeza, serei uma ameaça. Mas, se eles entenderem o que estou dizendo, eles irão vibrar, não haverá ameaça.
Na verdade, eu quero fazer delas pessoas contemporâneas. Elas não são. Algumas estão dependuradas dois mil anos atrás, com Jesus Cristo. Outros estão dependurados até mais tempo atrás, com Moisés ou Buda. Essas pessoas certamente me sentirão como uma ameaça porque eu pertenço ao presente.
E eu quero que eles venham para o presente, caso contrário não haverá esperança para a humanidade.
Essas pessoas são simplesmente corpos ambulantes, levando uma grande carga do passado – feia, supersticiosa. Certamente, eu sou uma ameaça às suas superstições. Eu sou uma ameaça às suas ideologias podres.
Eu sou uma ameaça aos seus conceitos sobre moralidade, Deus, religião, a tudo que eles tenham e que seja obsoleto. Certamente eles se sentirão ameaçados porque foi assim que eles se identificaram com seus próprios olhos, e é sempre muito difícil mudar.

Howard Sattler:
Você com certeza questionou os valores tradicionais das pessoas, e eu acredito que esse fato torna seu trabalho mais difícil. Você acha que poderia ser um pouco mais moderado, e procurar um resultado final em vez de uma reação imediata?

Eu não ligo para o resultado final. Minha preocupação não é diplomática, nem política. Eu simplesmente respondo com minha totalidade à tudo que me aparece na frente. Eu não posso ser astuto.
O que voce está me dizendo: "Seja um pouco mais astuto". Eu não posso ser.

Howard Sattler:
Você não é político, é?

Eu não sou politico. Isso é a pior coisa que pode acontecer a um homem. Eu não sou diplomático. Eu não quero que as pessoas sejam manipuladas com boas maneiras. Eu não sou hipócrita. Eu simplesmente digo a verdade como ela é. Se isso doer, o problema é de vocês. Se isso criar inimigos, eu não estou preocupado.
Porque sermos inimigos é o primeiro passo para nos tornarmos amigos. Eles já me reconheceram. No seu ódio eles já reconheceram sua derrota e morte. Agora ninguém pode salvá-los. Eles não podem me ignorar.
Se eles puderem me ignorar, então não existirá nenhuma ameaça para eles. Por isso, eu tenho que ser intenso, inflamado, e tenho que martelar forte em cada valor tradicional. Porque a única coisa que não quero é ser ignorado.

Howard Sattler:
Você certamente não será ignorado, isso eu posso lhe assegurar.

É isso…
Obrigado pelo elogio.

Osho, em "The Last Testament"

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s